sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Livro de I João

Nome: O assunto principal da primeira carta de João é o amor. O amor de Deus para conosco e o nosso amor para com os outros. Quem vive no amor vive unido com Deus, e Deus vive unido com ele. O autor também previne os leitores contra a falsa doutrina de que Jesus não se tornou homem realmente, tendo somente aparência de homem. A carta e as que se seguem, levam o nome de seu autor.
Capítulos: 5
Assunto: O amor de Deus
Palavra chave: Comunhão
Versículo chave: 1.3
Autor: João
Data: 90 d.C.
Esboço:
Introdução - cap. 1.1-4
Deus é luz - cap.1.5-10
A verdade e o erro - cap. 2
Os filhos de Deus e os filhos do diabo - cap. 3
O espírito da verdade e do erro - cap.4.1-6
Deus é amor - cap. 4.7-21
A fé que vence o mundo - cap. 5

I João 1
1. O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida
2. (pois a vida foi manifestada, e nós a temos visto, e dela testificamos, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e a nós foi manifestada);
3. sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo.
4. Estas coisas vos escrevemos, para que o nosso gozo seja completo.
5. E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e nele não há trevas nenhumas.
6. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos nas trevas, mentimos, e não praticamos a verdade;
7. mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado.
8. Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.
9. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
10. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

I João 2
1. Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.
2. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.
3. E nisto sabemos que o conhecemos; se guardamos os seus mandamentos.
4. Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade;
5. mas qualquer que guarda a sua palavra, nele realmente se tem aperfeiçoado o amor de Deus. E nisto sabemos que estamos nele;
6. aquele que diz estar nele, também deve andar como ele andou.
7. Amados, não vos escrevo mandamento novo, mas um mandamento antigo, que tendes desde o princípio. Este mandamento antigo é a palavra que ouvistes.
8. Contudo é um novo mandamento que vos escrevo, o qual é verdadeiro nele e em vós; porque as trevas vão passando, e já brilha a verdadeira luz.
9. Aquele que diz estar na luz, e odeia a seu irmão, até agora está nas trevas.
10. Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há tropeço.
11. Mas aquele que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai; porque as trevas lhe cegaram os olhos.
12. Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados por amor do seu nome.
13. Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que é desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porque vencestes o Maligno.
14. Eu vos escrevi, meninos, porque conheceis o Pai. Eu vos escrevi, pais, porque conheceis aquele que é desde o princípio. Eu escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e já vencestes o Maligno.
15. Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
16. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo.
17. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre.
18. Filhinhos, esta é a última hora; e, conforme ouvistes que vem o anticristo, já muitos anticristos se têm levantado; por onde conhecemos que é a última hora.
19. Saíram dentre nós, mas não eram dos nossos; porque, se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; mas todos eles saíram para que se manifestasse que não são dos nossos.
20. Ora, vós tendes a unção da parte do Santo, e todos tendes conhecimento.
21. Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.
22. Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse mesmo é o anticristo, esse que nega o Pai e o Filho.
23. Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; aquele que confessa o Filho, tem também o Pai.
24. Portanto, o que desde o princípio ouvistes, permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também vós permanecereis no Filho e no Pai.
25. E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna.
26. Estas coisas vos escrevo a respeito daqueles que vos querem enganar.
27. E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim nele permanecei.
28. E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não fiquemos confundidos diante dele na sua vinda.
29. Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.

I João 3
1. Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele.
2. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos.
3. E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.
4. Todo aquele que vive habitualmente no pecado também vive na rebeldia, pois o pecado é rebeldia.
5. E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os pecados; e nele não há pecado.
6. Todo o que permanece nele não vive pecando; todo o que vive pecando não o viu nem o conhece.
7. Filhinhos, ninguém vos engane; quem pratica a justiça é justo, assim como ele é justo;
8. quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo.
9. Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus.
10. Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem o que não ama a seu irmão.
11. Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio, que nos amemos uns aos outros,
12. não sendo como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas.
13. Meus irmãos, não vos admireis se o mundo vos odeia.
14. Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte.
15. Todo o que odeia a seu irmão é homicida; e vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.
16. Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos.
17. Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus?
18. Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras e em verdade.
19. Nisto conheceremos que somos da verdade, e diante dele tranqüilizaremos o nosso coração;
20. porque se o coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas.
21. Amados, se o coração não nos condena, temos confiança para com Deus;
22. e qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista.
23. Ora, o seu mandamento é este, que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, como ele nos ordenou.
24. Quem guarda os seus mandamentos, em Deus permanece e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos tem dado.

I João 4
1. Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.
2. Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;
3. e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo.
4. Filhinhos, vós sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo.
5. Eles são do mundo, por isso falam como quem é do mundo, e o mundo os ouve.
6. Nós somos de Deus; quem conhece a Deus nos ouve; quem não é de Deus não nos ouve. assim é que conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.
7. Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
8. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.
9. Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por meio dele vivamos.
10. Nisto está o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.
11. Amados, se Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros.
12. Ninguém jamais viu a Deus; e nos amamos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é em nós aperfeiçoado.
13. Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele em nós: por ele nos ter dado do seu Espírito.
14. E nós temos visto, e testificamos que o Pai enviou seu Filho como Salvador do mundo.
15. Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus.
16. E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele.
17. Nisto é aperfeiçoado em nós o amor, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos também nós neste mundo.
18. No amor não há medo antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor.
19. Nós amamos, porque ele nos amou primeiro.
20. Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu.
21. E dele temos este mandamento, que quem ama a Deus ame também a seu irmão.

I João 5
1. Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é o nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou, ama também ao que dele é nascido.
2. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, se amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.
3. Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são penosos;
4. porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.
5. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?
6. Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só pela água, mas pela água e pelo sangue.
7. E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade.
8. Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam.
9. Se recebemos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é este, que de seu Filho testificou.
10. Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê, mentiroso o faz, porque não crê no testemunho que Deus de seu Filho dá.
11. E o testemunho é este: Que Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho.
12. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.
13. Estas coisas vos escrevo, a vós que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna.
14. E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve.
15. e, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que já alcançamos as coisas que lhe temos pedido.
16. Se alguém vir seu irmão cometer um pecado que não é para morte, pedirá, e Deus lhe dará a vida para aqueles que não pecam para a morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore.
17. Toda injustiça é pecado; e há pecado que não é para a morte.
18. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca.
19. Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno.
20. Sabemos também que já veio o Filho de Deus, e nos deu entendimento para conhecermos aquele que é verdadeiro; e nós estamos naquele que é verdadeiro, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.
21. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Onde Estás?

“E, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim à tardinha, esconderam-se o homem e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás? Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque estava nu; e escondi-me. Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? Ao que respondeu o homem: A mulher que me deste por companheira deu-me a árvore, e eu comi. Perguntou o Senhor Deus à mulher: Que é isto que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente enganou-me, e eu comi.” (Gênesis 3:8-13)

Esse texto fala da entrada do pecado no mundo. Mostra o dia em que o ser humano errou o alvo e seguiu por um caminho que não devia.
Quando leio este texto lembro quando era criança e com os amigos brincávamos de nos esconder do outro. Havia um que contava até 31 e depois, saia em busca dos que foram se esconder. Procurava até achá-los. Deus tinha consciência do erro humano, mas saiu a procura do ser humano. Ele não desistiu de buscar o homem para levá-lo novamente para junto de Si.
Deus está a tua procura. Ele diz: “Onde estás?” Não tenha medo. Não fuja e não se esconda de Deus. Ele quer tê-lo junto a Si.
Assuma os seus erros. Não jogue a culpa para cima dos outros. O perdão só é possível quando assumimos os nossos erros.
Não se esconda de Deus. Não fuja do projeto que o Senhor tem para ti.
Deus deseja estar perto de ti. Ele quer ter-te perto dEle. Ele vem ao teu encontro. Ele não desiste e vai buscar-te. Não há esconderijo que posso ocultar-te de Deus. Sendo assim, assuma as suas falhas. Peça perdão ao Senhor e desfruta da Sua companhia.
Onde estás? Diga como os muitos servos de Deus: “Eis-me aqui Senhor!”


Vamos orar!
Senhor ajuda-me a não fugir de Ti. Dá-me coragem para reconhecer os meus erros e não jogar a culpa às outras pessoas.
Que eu tenha sensibilidade para ouvir a Tua voz chamando-me. Ajuda-me a compreender que desejas o melhor para mim. Que eu posso entender que Tu queres ter-me junto a Ti.
Ó Pai querido, ajuda-me a confessar as minhas falhas. Dá-me compreensão que mesmo tendo tantos defeitos Tu me amas e vens ao meu encontro para restaurar minha vida.
Que hoje eu posso dizer-Te: “Eis-me aqui Senhor!”
Que seja assim em nome de Jesus.


(Marcos Amazonas dos Santos)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Deus Sempre Te Escuta

Ana, um exemplo a ser seguido! Ela… mesmo estando em profunda aflição pelo opróbrio que estava sempre diante de si, aflita e angustiada, com amargura de coração se prostra diante do Senhor e busca nEle consolo. Ela estava em Silo, lugar de adoração. Estava diante do sacerdote. Estava em companhia do seu esposo que a amava… no entanto, nada disso podia aplacar a angústia que lhe pesava ao coração, então resolve fazer um voto ao Senhor; e assim o faz!

Seu pedido foi atendido e como era responsável e obediente, ela pagou seu voto, dizendo as seguintes palavras: “O meu coração se regozija no SENHOR, a minha força está exaltada no SENHOR; a minha boca se ri dos meus inimigos, porquanto me alegro na Tua salvação. Não há santo como o SENHOR; porque não há outro além de Ti; e Rocha não há, nenhuma, como o nosso Deus. Não multipliqueis palavras de orgulho, nem saiam coisas arrogantes da vossa boca; porque o SENHOR é o Deus da sabedoria e pesa todos os feitos na balança. O arco dos fortes é quebrado, porém os débeis, cingidos de força. Os que antes eram fartos hoje se alugam por pão, mas os que andavam famintos não sofrem mais fome; até a estéril tem sete filhos, e a que tinha muitos filhos perde o vigor. O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz subir. O SENHOR empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó e, desde o monturo, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são as colunas da terra, e assentou sobre elas o mundo. Ele guarda os pés dos Seus santos, porém os perversos emudecem nas trevas da morte; porque o homem não prevalece pela força. Os que contendem com o SENHOR são quebrantados; dos céus troveja contra eles. O SENHOR julga as extremidades da terra, dá força ao Seu rei e exalta o poder do Seu ungido” 1 Samuel 2:1-10

Note que palavras tremendas, onde a fé canta a vitória e exalta ao Senhor! É muito provável que você não se chame Ana, todavia encontra-se em situação angustiante, semelhante ao que aquela mulher se encontrava.

Esta mensagem é para você, pois o mesmo Deus que favoreceu Ana deseja lhe ser favorável. Não se constranja em aparecer diante dEle, pois, Ele nos conhece, sabe de nossa estrutura e até mesmo o que vamos Lhe pedir, mas espera que nos apresentemos a Ele. A amargura pode ser muito grande em sua alma, porém, não tão grande que seja impedimento para se apresentar diante do Senhor, chorar e se derramar diante dEle. Deus concedeu a Ana um presente chamado Samuel, que significa: “Aquele a quem Deus ouve”. O Deus que favoreceu Ana continua vivo e favorecendo aqueles que, mesmo em amargura da alma se apresenta diante dEle! Aleluia. O mesmo Deus que favoreceu Ana deseja lhe favorecer, só para ouvir de sua boca, um cântico de vitória, assim como flui da boca de Ana!

(Pastor Vilson Martins)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Mudança

Um dia, eu perdoei meu inimigo
e fui forte…

no outro, eu pedi perdão
e fui grande.


Um dia, mostrei minhas razões
e fui eloqüente…

no outro, ouvi meu próximo
e fui humano.


Um dia, lutei pela minha causa
e fui bravo..

no outro, lutei pela causa alheia
e fui gente.


Um dia, batalhei pelo que queria
e fui perseverante…

no outro, dividi o pão
e fui rico!


Um dia, recebi aplausos
e fui admirado…

no outro, fiz o bem em silêncio
e os anjos me aplaudiram.


Um dia, usei a inteligência
e fui respeitado…

no outro, usei o coração
e fui amado!


Quando me dei conta minha vida mudou quando mudei minhas atitudes diante da vida e dos fatos.

Participação na Igreja

Sério problema, muitas vezes, com os filhos crescidos é a participação deles na vida da Igreja. Não são poucos os filhos que, já adolescentes, por algum motivo, recusam-se a participar da Escola Dominical e dos cultos. O que fazer? Forçá-los será que é o melhor caminho para resolver o problema? Parece-nos que não! A Bíblia nos ensina que o melhor método é o nosso exemplo! O melhor sermão é o vivenciado e não o proferido. Não raro, os pais mandam os filhos à Igreja, para os trabalhos, mas eles mesmos não vão. Ordem sem exemplo! Verdadeira e péssima contradição. Portanto, o exemplo deve partir de nossa parte.

Nossas ações falam muito mais alto que nossas palavras. Quando agimos conforme falamos, a imagem desse exemplo fica para sempre gravada na mente e nos corações de nossos filhos. Não é verdade que temos cenas (algumas boas; outras nem tanto) de nossos pais, gravadas como fotografias em nossas mentes? Participemos das atividades da igreja para que os nossos filhos também participem! Afinal, se a Igreja é um lugar bom, por que temos preguiça de nos engajarmos nela? Afinemos o nosso diapasão pelo do Salmista: "Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor!" (Salmos 122.1)

Pense: Que imagem nós deixaremos marcada na mente de nossos filhos?


(http://www.cadadia.com.br/)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Perdão

Deus está esperando e está pronto a perdoar a qualquer que peça perdão. A Bíblia diz em Salmos 86:5 “Porque tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam.”

Em que se baseou Davi a sua esperança de perdão? A Bíblia diz em Salmos 51:1 “Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.”

Quão grande é a misericórdia de Deus? A Bíblia diz em Salmos 103:11-12 “Pois quanto o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua benignidade para com os que o temem. Quanto o oriente está longe do ocidente, tanto tem ele afastado de nós as nossas transgressões.”

Que promete Deus aos que confessam os seus pecados? A Bíblia diz em 1 João 1:9 “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” [E é totalmente apropriado que Deus nos perdoe os pecados porque Cristo morreu para redimir os nossos pecados]

Posso ser perdoado se estou ofendido com alguém? A Bíblia diz em Mateus 6:14-15 “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.”

Os que são perdoados, perdoam a outros. A Bíblia diz em Efésios 4:32 “Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.”

O perdão genuíno não se lembra das ofensas. A Bíblia diz em Mateus 18:21-22 “Então Pedro, aproximando-se dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.”

Quando recebemos o perdão não devemos continuar nos sentindo culpados. A Bíblia diz em Salmos 32:5 “Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado.”

Através do perdão, Cristo provê salvação completa da penalidade do pecado. A Bíblia diz em Colossenses 2:13-14 “E a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz.”

Se está precisando perdão, que deve fazer?

Primeiro, reconhecer o seu pecado. A Bíblia diz em Salmos 51:2-4 “Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.”

Segundo, pedir que o seu pecado seja perdoado. Deus diz que pode começar uma vida nova. A Bíblia diz em Salmos 51:7-12 “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que se regozijem os ossos que esmagaste. Esconde o teu rosto dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito estável. Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.”

Terceiro, acreditar que Deus lhe perdoou deveras e parar de se sentir culpado. A Bíblia diz em Salmos 32:1-6 “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui a iniqüidade, e em cujo espírito não há dolo. Enquanto guardei silêncio, consumiram-se os meus ossos pelo meu bramido durante o dia todo. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado. Pelo que todo aquele é piedoso ore a ti, a tempo de te poder achar; no trasbordar de muitas águas, estas e ele não chegarão.”

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Perdão e Misericórdia

“Não Te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões. Lembra-Te de mim, segundo a Tua misericórdia, por causa da Tua bondade, ó Senhor.” Salmos 25:7

Essa oração de Davi faz parte do Salmo 25, cujo tema principal é a súplica do salmista para que Deus o guie pelos caminhos desta vida. Mas Davi sabe que o pecado oculto torna impossível a direção divina. Em certa ocasião, ele disse: “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido.” Salmos 66:18
Por isso, Davi suplica por perdão. O pecado e a culpa destroem, amarram, escravizam. Querer vencer guardando o mal no coração é como querer navegar sem soltar a âncora.
Existem pessoas que não percebem as raízes espirituais de sua vida fracassada. Ao fazer um balanço de sua história, olham para todos os lados, menos para seu relacionamento com Deus. Se o fizessem, descobririam que o grande problema não é falta de dinheiro, nem de oportunidades, não é a ausência de um título, um nome ou uma posição social. A raiz de tudo é o pecado.
A Bíblia afirma que o pecado faz separação entre Deus e o homem. Como pode um homem separado de Deus ser vitorioso? Como pode voar, se o pecado cortou suas asas? Como pode correr se os seus pés se afundam nas areias movediças?
Por isso, o salmista suplica: “Não Te lembres dos meus pecados da mocidade”, quando vivia a vida louca, quando fazia as coisas sem refletir, achando que a juventude duraria para sempre. “Nem das minhas transgressões”, porque ainda na idade madura, continuo correndo atrás do brilho enganoso. “Lembra-Te de mim, segundo a Tua misericórdia.”
Graças a Deus que existe misericórdia. Que seria de você e de mim, se ela não existisse? Por Sua misericórdia, Deus não nos dá o que merecemos.
Um coração perdoado é um coração que tem paz. E paz é o que você precisa para que Deus possa colocar suas idéias em ordem e lhe dar a visão de um novo dia, de um novo caminho, e de uma nova oportunidade.
Por isso, hoje, diga a Deus: “Não Te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões. Lembra-Te de mim, segundo a Tua misericórdia, por causa da Tua bondade, ó Senhor.”
(Autor desconhecido)

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Servir: Privilégio de Poucos

É natural ao coração humano a busca de conforto, status, poder e tudo quanto vem agregado a estas realidades. Tiago, João e sua mãe foram até Jesus solicitar tais privilégios na consumação do reino de Deus. Jesus não disse nem que sim, nem que não, mas aproveitou para reforçar que o reino de Deus é reino de servos e, portanto, os servos são os verdadeiros governantes do mundo. No reino de Deus, o privilégio e o ônus de governar não é das “pessoas importantes”, mas dos servos, até porque, governar é servir. No reino de Deus, a maneira de governar não é exercendo domínio sobre os governados, mas servindo os governados, até porque, governar é servir. Na lógica do reino de Deus, o oposto também é verdadeiro: servir é governar.
Para servir é necessário sair da zona de conforto, isto é, fazer o indesejado, dedicar tempo para tarefas pouco atraentes, assumir responsabilidades desprezadas pela maioria, fazer “o trabalho sujo”, enfim fazer o que ninguém gosta de fazer. Para servir é necessário vencer o orgulho, isto é, se dispor a ser tratado como escravo, ter os direitos negligenciados, ser desprestigiado, sofrer injustiças, conviver com quase nenhum reconhecimento, enfim, não se deixar diminuir pela maneira como as pessoas tratam os que consideram em posição inferior. Para servir é necessário abrir mão dos próprios interesses, isto é, pensar no outro em primeiro lugar, ocupar-se mais em dar do que em receber, calar primeiro, perdoar sempre, sempre pedir perdão, enfim, fazer o possível para que os outros sejam beneficiados ainda que às custas de prejuízos e danos pessoais.
Não é por menos que em qualquer sociedade humana existem mais clientes do que servos. Servir não é privilégio de muitos. Servir é para gente grande. Servir é para gente que conhece a si mesma, e está segura de sua identidade, a tal ponto que nada nem ninguém o diminui. Servir é para gente que conhece o coração das gentes, de tal maneira que nada nem ninguém causa decepção suficiente para que o serviço seja abandonado. Servir é para quem conhece o amor, de tal maneira que desconhece preço elevado demais para que possa continuar servindo. Servir é para quem conhece o fim a que se pode chegar servindo e amando, de tal maneira que não é motivado pelo reconhecimento, a gratidão ou a recompensa, mas pelo próprio privilégio de servir. Servir é para gente parecida com Jesus. Servir é para muito pouca gente.
(Ed René Kivitz)

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

O Despertador

Ora, Pedro estava sentado fora, no pátio; e aproximou-se dele uma criada, que disse: Tu também estavas com Jesus, o galileu. Mas ele negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes. E saindo ele para o vestíbulo, outra criada o viu, e disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o nazareno. E ele negou outra vez, e com juramento: Não conheço tal homem. E daí a pouco, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Certamente tu também és um deles pois a tua fala te denuncia. Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: Não conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou. E Pedro lembrou-se do que dissera Jesus: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. E, saindo dali, chorou amargamente. (Mateus 26.69-75)

É natural encontrarmos em todas as casas pelo menos um relógio despertador. Como não poderia deixar de ser também tenho um. É uma grande ajuda, mostra-nos que é hora de levantar. É o momento de despertar e tomar uma nova atitude. Às vezes isso custa, principalmente quando o nosso despertador toca e nos acorda. A preguiça toma conta e geralmente queremos ficar um pouco mais na cama.
Lembro-me que tive um despertador que depois de certo tempo parava de tocar e era acionado novamente depois de 15 minutos. Eu sempre achava que podia ficar mais um pouco. Custava despertar e fazer o que devia ser feito.


O texto de hoje fala de um homem que havia prometido fidelidade total ao seu Mestre. Disse que seria capaz de morrer por ele. Assumiu o compromisso de segui-lo até as últimas consequências. Contudo, quando chegou a hora, ele seguia-o de longe. Quando conseguiu entrar na casa onde seu Mestre estava, sentou-se à beira da fogueira e ali adormeceu mentalmente. Suas promessas foram esquecidas.
Negou o seu Senhor. Mas havia um despertador. O despertador da antiguidade. O galo. Antigamente era pelo cantar do galo que as pessoas se guiavam. Pedro acordou do seu sono mental. Chorou amargamente. Reconheceu o seu erro. Viu como é fácil prometer às coisas e depois esquecer os compromissos assumidos.


Como somos parecidos com Pedro. Como assumimos compromissos com pessoas e as deixamos na mão. Como traímos e viramos às costas aos que tanto nos ajudam.
Como Pedro precisamos ouvir o despertador tocar. Necessitamos ver o olhar misericordioso e cheio de amor do Mestre.
Como Pedro precisamos chorar de arrependimento e rever nossas atitudes.
Sabe, muitas vezes seguia as pessoas de longe. Muitas vezes não quis um envolvimento direto, pois envolver-se é correr riscos. Jesus correu riscos. Morreu por amor. Pedro depois de ouvir o galo cantar e chorar de arrependimento, ao encontrar-se com Jesus em outra fogueira expressou todo o seu amor ao Mestre e nunca mais foi o mesmo. É claro que passou por muitas lutas, mas agora o seu despertador era para indicar o seu novo caminho.


Desperte. Não é tempo de ficar longe. É hora de estar perto de Jesus.

Vamos orar:
Senhor, eu creio que o despertador tocou para mim hoje. Estava como Pedro, seguindo-te de longe. Acomodei-me à situação e mesmo com uma linguagem “cristã”, que me denunciava, eu neguei-te. Contudo o galo cantou. O meu despertador disparou e acordei. Perdoa-me Senhor e ajuda-me a viver daqui para frente como alguém que não está distante, mas perto de Ti. Alguém que vive ousadamente e que precisa despertar cada dia para novas realidades da fé cristã. Que seja assim em nome de Jesus!


(Autor: Marcos Amazonas dos Santos)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

As Sete Maravilhas do Mundo

Um grupo de estudantes de geografia estudava as sete maravilhas do mundo. No final da aula, aos estudantes foi pedido para fazerem uma lista do que eles pensavam que fossem consideradas as novas sete maravilhas do mundo.
Embora houvesse algum desacordo começaram os votos:
1. A Grande Muralha - China
2. Cristo Redentor - Brasil
3. Petra - Jordânia
4. Taj Mahal - Índia
5. Coliseu de Roma - Itália
6. Chichén Itzá - México
7. Machu Pichu - Peru
Ao recolher os votos, o professor notou uma estudante muito quieta. A menina, não tinha virado sua folha ainda.
O professor então perguntou à menina se tinha problemas com sua lista.
A menina quieta respondeu:
- Sim, um pouco, eu não consigo fazer a lista, porque são muitas maravilhas.
O professor disse:
- Bem, diga-nos o que você tem, e talvez nós possamos ajudá-la.
A menina hesitou, então leu:
- Eu penso que as sete maravilhas do mundo sejam:
1. tocar
2. sentir sabor
3. ver
4. ouvir
Hesitou um pouco e então...
5. sentir
6. rir
7. e amar
A sala então ficou completamente em silêncio.

É fácil para nós, olhar as façanhas do homem. Nós negligenciamos tudo o que Deus fez para nós.

Que você possa se lembrar hoje, daquelas coisas que são verdadeiramente maravilhosas.


"Faça tudo de bom que você puder para todas as pessoas que você puder, quando você puder."

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Encontro com Deus

Havia um pequeno menino que queria se encontrar com Deus. Ele sabia que tinha um longo caminho pela frente. Um dia, encheu sua mochila com pastéis e guaraná, e saiu para brincar no parque.
Quando ele andou umas 3 quadras, encontrou um velhinho sentado em um banco da praça olhando os pássaros. O menino sentou-se junto a ele, abriu sua mochila, e ia tomar um gole de guaraná, quando olhou o velhinho e viu que ele estava com fome, então ofereceu-lhe um pastel. O velhinho muito agradecido aceitou, e sorriu ao menino.
Seu sorriso era tão incrível que o menino quis ver de novo; então ele ofereceu-lhe seu guaraná. Mais uma vez o velhinho sorriu ao menino. O menino estava tão feliz! Ficaram sentados ali, sorrindo, comendo pastel e bebendo guaraná pelo resto da tarde, sem falarem um ao outro.

Quando começou a escurecer o menino estava cansado e resolveu voltar para casa, mas antes de sair ele se voltou e deu um grande abraço no velhinho. Aí o velhinho deu-lhe o maior sorriso que o menino já havia recebido.
Quando o menino entrou em casa, sua mãe, surpresa ao ver a felicidade estampada em sua face, perguntou:
- O que você fez hoje que te deixou tão feliz assim?
Ele respondeu.
- Passei a tarde com Deus – e acrescentou – sabe, Ele tem o mais lindo sorriso que eu jamais vi!
Enquanto isso, o velhinho chegou em casa com o mais radiante sorriso na face, e seu filho perguntou:
- Por onde você esteve que está tão feliz?
E o velhinho respondeu:
- Comi pastéis e tomei guaraná no parque com Deus.
Antes que seu filho pudesse dizer algo, falou:
- Você sabe que Ele é bem mais jovem do que eu pensava?

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O Jovem que Prevalece

"Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno." I João 2:14
Ao estudarmos todo o contexto deste versículo, poderemos observar que a Palavra nos ensina sobre três níveis de maturidade espiritual:
Filhinhos, Pais e Jovens.
Grande parte da primeira carta de João é direcionada aos filhinhos, com o objetivo de lhes fortalecer a fé, exortar a respeito do mundo e de seus prazeres, e lhes estimular a respeito da fé e do amor.
Há também uma declaração sobre os pais. Eles conhecem a Deus, não só de ouvir falar, mas de andar com Ele. São maduros espiritualmente e emocionalmente.
Mas há também uma forte declaração sobre os jovens. E deles se diz que são fortes, tem a Palavra de Deus permanente em si e têm vencido o maligno.
Mas, será que os jovens, se encaixam nesta palavra?
Seja sincero! Você se considera um jovem forte no Senhor?
A Palavra de Deus está sempre presente em todas as circunstâncias da sua vida?
O diabo passa um 'cortado' com você ou é você quem passa um 'cortado' com ele?
A primeira afirmação é que os jovens são fortes. É certo que a força descrita aqui não se trata da força humana, carnal, mas sim de uma força divina, espiritual. E ninguém nasce com força, isto é algo que deve ser adquirido. Observe um halterofilista, quantos quilos ele não pode erguer com sua força?! Mas lembre-se, ele não nasceu assim, teve que exercitar muito, gastar muito tempo na academia.
Assim também nós, no dia em que recebemos a Jesus, recebemos uma porção de força, e agora compete a nós desenvolvermos esta força. Você tem força, mas creia, ela tem um limite. Se o Senhor tem proporcionado situações e circunstâncias para você, situações e circunstâncias que você não se sente forte o bastante para suportar, creia que Ele estará com você. Enfrente a situação e você perceberá força sendo gerada, força sendo desenvolvida. Ele te dará uma porção maior de força.
Esta é a academia de Deus, e assim nossas forças serão desenvolvidas plenamente. Mas tenha clareza de algo: ser forte no Senhor, não significa nunca cair. Mas ser forte no Senhor significa permanecer lutando.
A segunda afirmação é que os jovens têm a Palavra de Deus permanente dentro de si. O Verbo de Deus, ou, a Palavra de Deus, é Jesus Cristo. Ele é o Verbo vivo, a Palavra viva. Muitos dizem que estão cheios da Palavra porque leram um ou dois capítulos da Bíblia, e isso não está errado, mas o fato é que em tempos de provação e lutas, estes capítulos terão de funcionar.
E da prova, terão que sair aprovados.
E da luta, vencedores.
Muitas vezes não é isso que acontece. Porque tomamos a Palavra apenas como 'Bíblia', e não como Palavra viva de Deus, Palavra revelada, alimento para nosso espírito.
Creia. Todos os jovens que tomam a Palavra de Deus desta forma a terão permanente em si.
Na prova, sairão aprovados.
Na luta, saíram triunfantes.
Pois Jesus, a Palavra viva, foi tomado como vida e alimento para dentro de seu espírito, tornando-se assim a Palavra de Deus permanente em si. Porém, a permanência da Palavra em nós, dependerá de nossa permanência, constância e perseverança nela.
A terceira afirmação é que vocês jovens, já venceram o maligno. Talvez não esteja sendo esta sua experiência - vencendo o maligno. E pode até ser, que você esteja sendo vencido por ele.
Vencer o maligno, fala de:
Confronto
Guerra espiritual
Combate
Não combatemos o maligno, sentados no sofá de casa, assistindo BBB e comendo pipoca, "mó down". Este com certeza têm experimentado derrota. O Senhor Jesus venceu o maligno na cruz.
Adivinha?! Nós só podemos vencer o maligno tendo uma vida de cruz. E a maneira mais prática para se viver vida de cruz, é nos relacionando.
Afinal, cruz é:
Preferir o outro em honra
É não visar seus próprios interesses
É sofrer o dano
E amar sem fingimento quem quer que seja
Queremos vencer o maligno?
Então vamos tomar nossa cruz e seguir as pisadas daquele que nos fez mais que vencedores - Jesus Cristo, nosso Senhor.

Que Deus abençoe sua vida!
Tadeu Rodrigues

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Reflexão

Uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que acontece dentro das pessoas.
Ele disse:
- Há uma batalha entre dois lobos que vivem dentro de todos nós.
Um é Mau - É a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho falso, superioridade e ego.
O outro é Bom - É alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.
O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:
- Qual lobo vence?
O velho índio respondeu:
- Aquele que você alimenta!

(Autor desconhecido)

Hospital do Senhor

Fui ao hospital do Senhor fazer um “check-up” de rotina e constatei que estava doente.
Quando Jesus mediu minha pressão, verificou que estava baixa de ternura. Ao tirar a temperatura, o termômetro registrou 40 graus de egoísmo.

Fiz um eletrocardiograma e foi diagnosticado que necessitava de uma ponte de amor, pois minha artéria estava bloqueada e não estava abastecendo meu coração vazio.

Passei pela ortopedia, pois estava com dificuldade de andar lado a lado com meu irmão e não conseguia abraçá-lo por ter fraturado o braço, ao tropeçar na minha vaidade.

Constatou-se miopia, pois não conseguia enxergar além das aparências.

Queixei-me de não poder ouvi-lo e diagnosticou bloqueio em decorrência das palavras vazias do dia-a-dia.

Obrigado, Senhor, por não ter me cobrado consulta, pela sua grande misericórdia. Prometo, ao sair daqui, somente usar remédios naturais que me indicou e que estão no Evangelho.

Vou tomar diariamente, ao me levantar, chá de agradecimento; ao chegar ao trabalho, beber uma colher de sopa de bom dia; e de hora em hora, um comprimido de paciência, com um copo de humildade.

Ao chegar em casa, Senhor, vou tomar, diariamente, uma injeção de amor e, ao me deitar, duas cápsulas de consciência tranqüila. Agindo assim, tenho certeza de que não ficarei mais doente e todos os dias serão de confraternização e solidariedade.

Prometo prolongar este tratamento preventivo por toda a minha vida, para que quando eu for chamado, possa ser achado digno de ser Seu filho. Obrigado senhor, e perdoe-me. De seu cliente.

"Todos nós vivemos devorados pela necessidade de sermos amados, mas temos medo da insegurança de amar."

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O Sangue de Jesus

Há algum tempo atrás tivemos a oportunidade de escrever um longo artigo sobre Jesus Cristo falando especificamente porque Jesus é o único que tem poder para nos salvar da morte eterna. Neste artigo queremos transmitir algo muito importante a respeito do sangue de Jesus.

Quando o pecado entrou no mundo, a condenação dada por Deus foi a morte. Esta morte, não se limita exclusivamente a morte física do corpo, mas abrange também a morte espiritual, ou seja, o espírito que foi criado por Deus para permanecer na presença de Deus, “morre” por causa do pecado, mas essa morte não é destruição, mas separação de Deus. O espírito “morto” é lançado no inferno em estado consciente.

Considerando que o preço do pecado é a morte, todo pecado se paga com a morte eterna. Mas o homem, sendo pecador, permaneceria eternamente no inferno, pois não haveria fim para a condenação, é como a prisão perpétua. Só não permanece no inferno quem não tem pecado, e nenhum homem no mundo tem esta condição.

Para que o homem fosse liberto da morte eterna, Deus enviou seu filho Jesus Cristo para “pagar” esse pecado cometido pelo homem. Para isso, Jesus não poderia ter pecado, nem mesmo a natureza pecaminosa vinda desde Adão. Adão, quando pecou contra Deus, tornou-se totalmente contaminado pelo pecado. Não havia em Adão, nem mesmo um fio de cabelo ou uma única célula em seu corpo que se pudesse dizer: “esta célula é santa”. Como consequência, todos os filhos de Adão nasceram com essa natureza pecaminosa, pois foram gerados por uma semente contaminada pelo pecado. A mesma coisa aconteceu com os filhos dos filhos de Adão, e assim, toda humanidade foi gerada a partir de Adão com a mesma natureza pecaminosa. Isto é como uma doença contagiosa que passa de pai para filho.

Para que Jesus pudesse pagar pelos pecados dos homens, ele não poderia ter essa natureza pecaminosa, por isso, é que foi gerado de uma forma milagrosa pelo Espírito Santo de Deus. Jesus não foi e nem poderia ser gerado pela semente de José. Deus disse através dos profetas que sem derramamento de sangue não há remissão. Por isso, no passado, os sacerdotes faziam sacrifícios de animais para remissão dos pecados dos homens, mas o sangue dos animais não tinha esse poder, era apenas um ato simbólico. Foi necessário que um homem, sem pecado, derramasse seu sangue para que a remissão tivesse efeito. E esse homem foi Jesus.

Nesse ponto é que se questionou o fato de Jesus ter nascido de uma mulher, Maria, a qual era sem dúvida descendente de Adão. Jesus sendo nascido de uma mulher, porventura o sangue que circulava no seu corpo não seria também de Maria que era descendente de Adão? Se assim fosse, o sangue de Jesus não teria poder para remissão dos pecados.

É neste ponto que vemos a santidade e a perfeição na providencia de Deus. Como sabemos, Jesus não é filho de José, mas foi gerado pelo Espírito Santo. A ciência médica afirma dois fatos importantes:
1. O sangue que circula no corpo de uma criança em formação no ventre a mãe é “fabricado” a partir da semente do pai, e não da mãe.
2. Esse mesmo sangue que circula no sangue da criança, é separado do sangue da mãe. Ele circula entre o corpo da criança, e a placenta através do cordão umbilical, sem se misturar com o sangue da mãe. Isto explica o fato do fator RH do sangue de uma criança ser muitas vezes diferente do fator RH do sangue da mãe.

Portanto, o sangue que circulava no corpo de Jesus, não era o mesmo sangue de Maria, sua mãe, mas o sangue do próprio Deus que foi o Pai que o gerou no ventre de Maria. Agora sabemos por que o sangue de Jesus é o único que tem poder para nos purificar de todo pecado. Está escrito que aquele sangue era de Deus:

“Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.” Atos. 20:28

“Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.” Hebreus 9:11-12

(Walter Ponci. Extraído do http://blogdoponci.blogspot.com)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Conhecendo os Descrentes

- O descrente rejeitou a igreja, mas isso não quer dizer que todo descrente tenha também rejeitado a Deus.
- O descrente pode estar moralmente à deriva, mas, no fundo do coração, deseja uma âncora.
- O descrente opõe-se a regras, mas é sensível ao raciocínio.
- O descrente não entende o Cristianismo, mas também não conhece exatamente aquilo em que afirma acreditar.
- O descrente tem perguntas autênticas sobre assuntos espirituais, mas não acha que os cristãos respondam.
- O descrente não pergunta: “O Cristianismo é verdadeiro?”. No geral, ele pergunta: “O Cristianismo funciona?”.
- Quem está longe de Deus não quer apenas conhecer algo. Quer ter uma experiência.
- O descrente não quer ser o projeto de alguém. Ele gostaria, porém, de ser amigo de alguém.

“Corremos o risco de repelir aqueles que estão afastados de Deus e da igreja, a menos que eles vejam em nossas igrejas uma comunidade autêntica, finanças transparentes, perdão incondicional e aquela solicitude recíproca de que a Bíblia fala.”

(Lee Strobel, Como Alcançar Os Que Evitam Deus e a Igreja, Capítulo 4.)